sábado, 16 de fevereiro de 2013

Surpreendente, Angola


Acho que eu nunca havia ficado tanto tempo sem aparecer aqui no blog... nada sério, pelo contrário! O ano começou agitado e eu acabei aproveitando cada minuto, não conseguindo nem me concentrar para escrever aqui! 

Resumindo: Fomos ao Brasil comemorar!

A primeira comemoração é que a minha sogra terminou o tratamento contra o câncer! Ela está ótima, animada e cheia de planos! 

A segunda comemoração, foi a chegada dos meus 30 aninhos! Foi uma delícia comemorar essa data com minha família, meus amigos queridos e em Curitiba! Foram dias muito, muito especiais!!! Festinha com um toque africano! eheheh

E a terceira delas é que estar no Brasil é sempre uma comemoração atrás da outra! =)

Desta vez testamos uma nova rota até o Brasil. Saímos de Libreville com a cia aérea Royal Air Maroc e fomos para Luanda - Angola, que tem voos pela cia TAAG para São Paulo e Rio de Janeiro. Voltando para o Gabão conseguimos ficar dois dias na capital angolana.

Angola, também ex-colônia portuguesa, se tornou independente em 1975. Desde então o país viveu fortes tensões políticas que culminaram em guerra civil que durou até 2002. O país, que é o segundo produtor africano de petróleo e diamantes, se reconstruiu rapidamente dos efeitos da guerra,   graças à sua força econômica. Nunca vi tantas gruas e obras em um só lugar! Surpreendente, pelas estruturas e pela beleza.

Diversos restaurantes, hotéis, condomínios de luxo, shoppings e prédios, muitos prédios, que abrigam o boom de empresas angolanas, chinesas, brasileiras e europeias (estas últimas buscando em Angola uma saída lucrativa para fugir da crise).

O ar da cidade é brasileiro, as músicas na praia são os sucessos do momento no Brasil. Lojas, TV, comidas, em toda parte tem coisas do nosso país! Não é pra menos... além das diversas empresas brasileiras que estão instaladas por lá, estima-se que cerca de 25 mil brasileiros moram em Angola.

Os problemas também existem: grande desigualdade social, IDH dos mais baixos do mundo e índice de corrupção altíssimo - a olhos nus - chocante.











3 comentários:

  1. Não conheço Luanda, mas, por tudo que eu já li de lá, acho que deve se parecer muito com Salvador. O porto de Luanda foi um dos principais fornecedores de escravos para a região do recôncavo, então a proximidade cultural deve ser grande. Além disso, tem mais ou menos a mesma quantidade de habitantes e estão, aproximadamente, na mesma latitude, então acho q o clima deve ser muito parecido. Em Salvador, o descaso é enorme, assim como em Luanda.

    Eu tenho muita vontade de conhecer a capital angolana, quero checar se parece msm com Ssa ou é só impressão. Apesar das mazelas, Salvador tem seus encantos, e a julgar pelas fotos e pelo seu relato, Luanda também.

    Quando eu estiver lá, é bem provável que eu vá me sentir como se não tivesse viajado, rsrsr

    ResponderExcluir
  2. Conheci uma brasileira que esteve na Angola e disse que ficou negativamente surpresa com a falta de segurança de Luanda. Disse que não podia sair de casa sozinha, que a sensação era horrível. Não sei se foi exagero, mas fiquei com a impressão - não só por isso - que a vida na África deve ser um pouco complicada para mulheres. Vc sai sozinha tranquilamente em Libreville, como pedestre? Apesar de tudo, acho que ela deve ter exagerado um bocado.

    Eu ainda quero ir a todos os países de Língua Portuguesa. =D

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcelo! Acho que cada pessoa vive experiências diferentes e com isso as impressões e reações podem variar bastante... Aqui em Libreville eu dirijo, saio sozinha para fazer tudo que eu preciso ou com amigas para "explorar" a cidade, só não saio mais à pé durante o dia porque aqui o sol e o calor não dão trégua!

      Aqui o índice de criminalidade é baixíssimo e nunca me senti ameaçada na questão de segurança. É claro que até você sentir "o clima" da cidade vai um tempo, é normal ficar mais cuidadosa e atenta à tudo que acontece. Por outro lado, sinto-me constantemente sendo observada... as pessoas estrangeiras sempre chamam muita atenção e é inevitável atrair olhares e risadinhas quando ouvem o meu "sotoque extraterrestre". Antes eu ficava irritada com isso, agora eu já não ligo mais... :)

      Sobre Angola, eu fiquei apenas dois dias e como turista eu não vi nenhuma situação que representasse algum perigo dessa natureza. O que eu senti, é que a receptividade com os brasileiros é imensa! Logo que ouvem o nosso sotaque é o início de uma conversa longa!

      Obrigada pela sua contribuição ao blog!

      Um abraço,

      Celina

      Excluir