Pular para o conteúdo principal

Libreville Cult

Depois de uns dias pela África do Sul (Joanesburgo e Soweto) e um "pulinho"no Brasil, estamos de volta! Joanesburgo é incrível, a África do Sul é incrível... Excelente destino para férias! ;)





Em Libreville começou a estação das chuvas e deve durar cerca de 6 meses. Chove todos os dias, mas não o dia todo e o calor só aumenta.

Finalmente, abriram o primeiro curso de francês para estrangeiros e semana que vem começo no nível B1 - que seria o intermediário de francês. Uma felicidade! Pois até agora eu vinha improvisando os estudos com um amigo gabonês e leituras aleatórias. Agora vai!

A comunidade de expatriados é grande aqui em Libreville. Nem tanto o corpo diplomático, mas principalmente os trazidos pelas multinacionais. Os benefícios oferecidos para funcionários que decidem vir para a África são sempre bem atrativos e sem dúvida, necessários. O Gabão, em especial, oferece boas escolas para aqueles que tem filhos e com certeza, a tranquilidade e segurança da cidade é relevante na hora da escolha.

Isso me lembra que estou devendo um pedido de post, sobre os desafios das crianças expatriadas. Vou cumprir, viu Gabriela? rsrs

Viver essa mistura de povos e culturas é uma oportunidade incrível! Esta semana, minha vizinha, que é belga, me chamou para uma reuniãozinha na casa dela.  Lá se pude conhecer outras mulheres expatriadas vindas do Japão, Chile, Espanha e França! Imaginem tudo isso junto? É incrível ouvir as histórias e experiências que cada uma delas tem vivido pelo mundo e sem dúvida, ajuda. Ajuda a superar aqueles dilemas internos e a ver que você não está só neste desafio de mudanças constantes e de simplesmente mudar os planos e recomeçar!

Nos últimos dias pude conhecer um pouquinho da cultura Coreana, que estava celebrando 50 anos de sua embaixada aqui no Gabão. Tiverem coquetel com comida coreana, apresentação de filmes e um espetáculo de dança que misturou a cultura e a modernidade da Corea do Sul. Lindíssimo!
Apresentação de dança coreana!
Falando em cultura, domingo fomos em um almoço com comida, música e desfile de moda - todos típicos da cultura gabonesa. No hotel onde estava acontecendo o evento, também havia uma exposição de fotos do fotógrafo belgo-beninense Fabrice Monteiro! Vale a pena conferir o link!

As minhas fotos não ficaram muito boas, pois foram pelo celular, mas servem para registro:
Eu - e meu vestido com tecido africano!





Comentários

  1. Parabéns pelo blog !!!
    Ainda sou um protodiplomata e adorei conhecer as experiências que vcs estão passando.
    Sou casado, tenho um filho e, por isso, a proposta do seu blog é excelente para que conheçamos a visão do familiar do seguidor dessa carreira tão invejável.
    Também estou no aguardo do post sobre o desafio das crianças expatriadas.
    Obrigado pela iniciativa,
    Flávio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Flávio! Boa sorte nos seus desafios! Um grande abraço!

      Excluir

Postar um comentário

POSTS POPULARES

Esposa de Diplomata - Parte I

Nossas aventuras pela África continuam!  Recentemente completamos 1 ano em África. Foi um ano de muitas novidades, tantas descobertas, cores, paisagens, sabores!
Além da oportunidade de morar em Libreville ainda conseguimos conhecer outras cidades africanas: Joanesburgo, São Tomé, Cotonou, Luanda, rápidas passagens por Adis Abeba e Ponta Negra, e ainda a linda Cidade do Cabo! Cada uma dessas cidades deixou sua marca especial na minha memória e impressões daquelas que só se pode ter vendo com seus próprios olhos. 
Ainda temos muitos planos de viagem e amigos para visitar na África. Vamos tentando assim conhecer um pouquinho mais esse continente tão incrivelmente cheio de riquezas naturais, humanas, gastronômicas, religiosas, étnicas, idiomáticas... 

Quanto à experiência da vida diplomática, eu diria que agora me sinto um pouco mais situada e recompensada pelas difíceis decisões de deixar o Brasil, meu trabalho e tantas outras coisas e sonhos. Ganhei, no entanto, em um ano o que eu não ganh…

Falando em tecidos...

Fazer este blog tem me feito notar coisas que eu normalmente não notaria. Além disso, tenho cada vez mais percebido que escrever é uma arte! É difícil reler suas próprias produções depois do calor do momento; sempre quero mudar algo, incluir, tirar, enfim... Peço desculpas pelos errinhos e espero continuar passando a vocês esta experiência da forma mais clara, leve e objetiva possível. 

Falando na arte da escrita, lembrei da contracapa de um livro que ganhei da querida diplomatriz Carollina Tavares, que diz: "O escritor não é alguém que vê coisas que ninguém mais vê. O que ele simplesmente faz é iluminar com os seus olhos aquilo que todos veem sem se dar conta disso. (...) para que o mundo já conhecido seja de novo conhecido como nunca foi." (Rubem Alves)

Na África, descobri que a escrita pode ter milhares de formas e cores! Aqui, até o estampado de uma roupa é uma forma de expressão. A estampa fala por si só, cada uma delas explicita um sentimento, uma situação, um nome, um p…

Mariage coutumier: o casamento tradicional no Gabão

Hoje vou tratar de um tema complexo e com implicações sobre a questão de gênero, o mariage coutumier (casamento tradicional), bastante comum no Gabão e em diversos países africanos. A cerimônia terá particularidades mesmo dentro de um país, a depender da região e da etnia a que os noivos pertencem.
É sem dúvida um dos rituais mais interessantes e tradicionais da cultura gabonesa, mas, como é comum nas instituições sociais, tem suas controvérsias.

O grande dia

De quinta a domingo se você ouvir sirenes e ver comboios de carros escoltados pela polícia, lotados de pessoas (incluindo em cima de caminhonetes) vestindo as mesmas cores e em clima de comemoração, não tenha dúvidas: não é revolução, é casamento!


Os membros da família da noiva vestem-se com tecidos iguais, que combinam com o tecido da família do noivo.

O tecido ("pagne") é previamente definido e deixado em lojas de tecido da cidade com o nome dos noivos. Os convidados irão coser seus trajes com o tecido escolhido pelos noi…