Pular para o conteúdo principal

Por onde começar?


A razão deste blog se inicia no ano de 2003, quando conheci meu marido. Era um dos meus primeiros meses na faculdade (em Curitiba) e mesmo com diversas dificuldades (quem sabe um dia eu conto em detalhes) resolvi ir ao Encontro Nacional de Estudantes de Relações Internacionais (ENERI) na cidade de Ribeirão Preto, SP. 

Em meio à excitação de uma caloura, não apenas de faculdade mas também de viagens, eu só pensava que o curso de Relações Internacionais me faria chegar em “algum lugar”(parafraseando familiares) ou, como eu pensava, à vários lugares…

E foi aí, nessa empolgação de conhecer o mundo, que conheci o veterano de uma outra universidade de Curitiba – Cassiano. O assunto entre nós começou no mesmo clima, divagando sobre as oportunidades que o curso de RI poderia nos dar para conhecer o mundo e discutindo mirabolantes planos sobre a cooperação mundial.

Sintonia. Brilho nos olhos. Beijo. Resultado? Namoro, noivado, separação, noivado, casamento (Sim! Foram dois noivados… mas, esta história é para outro momento).

Fato é que em 2010, após alguns anos de muita dedicação, o Cassiano passou no concurso do Instituto Rio Branco e no mesmo ano resolvemos morar juntos em Brasília. Ao final de 2011 nos casamos, uma comemoração pequena, com familiares e amigos mais próximos, mas exatamente como sonhávamos.

O que nós não sonhávamos em maio de 2003 é que em dezembro de 2011, dois dias antes do nosso casamento, aceitaríamos o desafio de ir para uma missão diplomática na África.

Aceitar este desafio ainda nos primeiros momentos da constituição da nossa família é cheio de expectativa, cheio de inseguranças e por que não dizer: coragem!

Partiremos dia 19 de março deste ano, e estamos nos preparando para este dia... - há muito tempo.



Comentários

  1. Oi! :P Já tinha lido esse post há um tempo, mas esqueci de comentar: é muito fofo! :)

    ResponderExcluir
  2. Muito fofa mesmo a história. Coragem não falta para vocês que entraram na carreira diplomática, rs. Conheci o Blog há pouco tempo e gostei bastante.
    Eu tenho 15 anos, quero muito cursar RI e passar no concurso do Instituto Rio Branco. Mas, geralmente, as pessoas me desestimulam muito, porém mesmo assim confio em mim e no meu talento, espero conseguir assim como você. O Blog é instigante!

    Paz e luz,

    Lêda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lêda, obrigada!!!
      Continue firme no seu propósito! Raras são as pessoas que aos 15 anos já sabem para onde querem ir, não deixe que comentários negativos interfiram no seu plano! Boa sorte!!!

      Um abraço!

      Excluir

Postar um comentário

POSTS POPULARES

Esposa de Diplomata - Parte I

Nossas aventuras pela África continuam!  Recentemente completamos 1 ano em África. Foi um ano de muitas novidades, tantas descobertas, cores, paisagens, sabores!
Além da oportunidade de morar em Libreville ainda conseguimos conhecer outras cidades africanas: Joanesburgo, São Tomé, Cotonou, Luanda, rápidas passagens por Adis Abeba e Ponta Negra, e ainda a linda Cidade do Cabo! Cada uma dessas cidades deixou sua marca especial na minha memória e impressões daquelas que só se pode ter vendo com seus próprios olhos. 
Ainda temos muitos planos de viagem e amigos para visitar na África. Vamos tentando assim conhecer um pouquinho mais esse continente tão incrivelmente cheio de riquezas naturais, humanas, gastronômicas, religiosas, étnicas, idiomáticas... 

Quanto à experiência da vida diplomática, eu diria que agora me sinto um pouco mais situada e recompensada pelas difíceis decisões de deixar o Brasil, meu trabalho e tantas outras coisas e sonhos. Ganhei, no entanto, em um ano o que eu não ganh…

Falando em tecidos...

Fazer este blog tem me feito notar coisas que eu normalmente não notaria. Além disso, tenho cada vez mais percebido que escrever é uma arte! É difícil reler suas próprias produções depois do calor do momento; sempre quero mudar algo, incluir, tirar, enfim... Peço desculpas pelos errinhos e espero continuar passando a vocês esta experiência da forma mais clara, leve e objetiva possível. 

Falando na arte da escrita, lembrei da contracapa de um livro que ganhei da querida diplomatriz Carollina Tavares, que diz: "O escritor não é alguém que vê coisas que ninguém mais vê. O que ele simplesmente faz é iluminar com os seus olhos aquilo que todos veem sem se dar conta disso. (...) para que o mundo já conhecido seja de novo conhecido como nunca foi." (Rubem Alves)

Na África, descobri que a escrita pode ter milhares de formas e cores! Aqui, até o estampado de uma roupa é uma forma de expressão. A estampa fala por si só, cada uma delas explicita um sentimento, uma situação, um nome, um p…

Mariage coutumier: o casamento tradicional no Gabão

Hoje vou tratar de um tema complexo e com implicações sobre a questão de gênero, o mariage coutumier (casamento tradicional), bastante comum no Gabão e em diversos países africanos. A cerimônia terá particularidades mesmo dentro de um país, a depender da região e da etnia a que os noivos pertencem.
É sem dúvida um dos rituais mais interessantes e tradicionais da cultura gabonesa, mas, como é comum nas instituições sociais, tem suas controvérsias.

O grande dia

De quinta a domingo se você ouvir sirenes e ver comboios de carros escoltados pela polícia, lotados de pessoas (incluindo em cima de caminhonetes) vestindo as mesmas cores e em clima de comemoração, não tenha dúvidas: não é revolução, é casamento!


Os membros da família da noiva vestem-se com tecidos iguais, que combinam com o tecido da família do noivo.

O tecido ("pagne") é previamente definido e deixado em lojas de tecido da cidade com o nome dos noivos. Os convidados irão coser seus trajes com o tecido escolhido pelos noi…